Como gerenciar pessoas criativas

Pessoas criativas e talentosas fazem a diferença em qualquer empresa, mas nem sempre é fácil gerir esse pessoal. Muitas vezes, são funcionários temperamentais, imprevisíveis, excêntricas e arrogantes. Descartá-los, então? Talvez não seja a melhor opção. “Se você apenas contrata e promove pessoas amigáveis e fáceis de gerenciar, sua empresa será, no máximo, medíocre”, disse Tomas Chamorro-Premuzic em um artigo escrito para a Harvard Business Review. “Suprimir a criatividade é um tumor maligno para as empresas”. Tomas é professor de psicologia empresarial na University College London e membro da Columbia University. No artigo que escreveu, ele dá algumas dicas para manter os funcionários criativos felizes e produtivos. Algumas são polêmicas.

Gerir pessoas criativas

1. Mime e deixe falhar

Aja como pais que comemoram a bagunça feita pelas crianças. Mostre seu apoio incondicional e encoraje esse funcionário a falhar. Inovações vêm da incerteza, risco e experimentação – se você sabe que algo funcionará, então não é criativo. Por isso, deixe-o testar e brincar. É claro que há custos ligados à experimentação, mas eles são mais baixos do que não inovar.

 

2. Deixe pessoas meio chatas ao redor deles

A pior coisa que você pode fazer para um funcionário criativo é forçá-lo a trabalhar com alguém como ele. Eles vão competir por ideias, fazer “brainstorms” eternos ou simplesmente ignorar um ao outro.

 

3. Envolva-os em trabalhos significativos

Inovadores natos tendem a ter mais visão. Eles veem o cenário mais amplo e são capazes de entender as coisas que importam. O problema disso é que eles simplesmente não vão se engajar com projetos sem sentido.

 

4. Não os pressione

A criatividade normalmente é impulsionada dando mais liberdade e flexibilidade no trabalho. Se você gosta de estrutura, ordem e previsibilidade, você provavelmente não é criativo. O melhor desempenho dos criativos surge em circunstâncias espontâneas e imprevisíveis. Então, não restrinja seus funcionários criativos, não os force a seguir processos ou estruturas. Deixe-os trabalhar remotamente, em horários fora do usual, não pergunte onde estão, o que estão fazendo e como estão fazendo.

 

5. Não os pague demais

Há um amplo debate sobre a relação entre motivação intrínseca e extrínseca. Resumindo, quanto mais você paga para o funcionário fazer algo que ele ama, menos ele vai amar o projeto. Pessoas com talento para inovação não são motivadas apenas por dinheiro. Dados de pesquisas mostram que quanto mais imaginativas e curiosas as pessoas são, mais elas são motivadas por reconhecimento e curiosidade científica pura - e menos por necessidades comerciais.

 

6. Surpreenda-os

Poucas coisas são tão agravantes para os criativos quanto o tédio. São pessoas estimuladas por mudanças constantes, mesmo quando elas são contra produtivas. Esses funcionários pegam um caminho diferente para o trabalho a cada dia e nunca repetem um pedido no restaurante. Os criativos amam complexidade e gostam de fazer coisas simples parecerem complexas – e vice-versa. Por isso é essencial surpreendê-los. Se falhar nisso, vai deixá-los criarem caos suficiente para que deixem suas próprias vidas menos previsíveis.

 

7. Faça com que se sintam importantes

Ser justo não é tratar todos os funcionários da mesma forma, mas sim como cada um merece. Cada empresa tem colaboradores de alto e baixo potencial, mas apenas gestores competentes podem identificá-los. Se você falha ao reconhecer o potencial de seus funcionários criativos eles irão a outro lugar onde se sintam mais valorizados.

 

Você também pode gostar de: Melhor modelo de Currículo

Compartilhar essa página