Você se conhece de verdade?

Por Robert Half 28 de Janeiro de 2019

Por Fernando Mantovani

O que responder quando, em uma entrevista de emprego, você deve saber o que falar sobre você e te perguntam quais são suas principais qualidades e defeitos? Muitos candidatos travam nesse momento.

Afinal, como enaltecer seus pontos fortes sem parecer arrogante e como citar pontos de melhoria sem deixar o recrutador em dúvida sobre te contratar ou não? O segredo está no autoconhecimento, característica muito valorizada no mercado de trabalho.

Primeiro passo

A primeira orientação que te dou é: crie o hábito de fazer uma autoanálise do seu perfil como pessoa e profissional. No lugar de ser reativo diante de uma crítica, procure avaliar sua parcela de culpa na situação, em quais pontos precisa evoluir e qual é o melhor caminho para isso.

Quando se destacar em diferentes esferas da vida, entenda qual foi sua contribuição para o feito e de que maneira ela contribuiu para o desenvolvimento das ações ou de outras pessoas. Registre todas essas informações. Ter estes dados em mente poderá auxiliar no seu futuro profissional e trará ganhos salariais importantes.

BAIXAR O GUIA SALARIAL ROBERT HALF

Segundo passo

O segundo passo é estudar o escopo das vagas para as quais se candidata, o perfil da empresa e, se possível, o estilo de gestão do potencial empregador. Com base nesses dados, trace sua estratégia para falar sobre:

Pontos de melhoria

Sempre que você falar sobre um ponto de melhoria do seu perfil, tenha atenção para explicar o que tem feito para evoluir nesse aspecto. Ilustrar essa evolução com um exemplo prático ajuda muito a validar o que você está dizendo.

Fuja de respostas padrão dadas pela maioria, como “sou perfeccionista”. Pense em características mais específicas, como sua capacidade para delegar, gerir pessoas, aceitar opiniões contrárias, etc. Por exemplo, se tem dificuldade para trabalhar em grupo, explique que após identificar isso começou a se envolver mais em ações coletivas para desenvolver a habilidade. Seja honesto na resposta e não deixe de ressaltar o quanto tem se esforçado para melhorar.

Pontos de destaque

Neste momento, procure fazer uma relação entre as qualidades que você tem e as que o empregador procura em quem vai ocupar o cargo em questão. 

Por exemplo, se você está se candidatando para uma vaga que exija bom relacionamento interpessoal, deixe que o recrutador saiba que você sempre foi escolhido para ser representante de classe porque tinha facilidade para se comunicar com diferentes públicos: alunos, professores e direção da instituição de ensino. Quando a qualidade vem acompanhada por uma situação prática e real, além da validação de outras pessoas, não soará arrogante

Lembre-se: se você não souber dizer quem é e quem deseja ser, dará às pessoas o direito de supor coisas ao seu respeito. E isso nem sempre é bom!

*Fernando Mantovani é diretor geral da Robert Half no Brasil

Quer receber mais conteúdos como este?

Se você gostou deste post, assine nossa Newsletter para receber mensalmente artigos relacionados à dicas de carreira, recrutamento e mercado de trabalho.

More From the Blog...