COVID-19 e processo seletivo: posso mudar de emprego nesse período?

Por Robert Half on 6 de abril de 2020

Por Bianca Cestari

O cenário atual está bastante sensível para o mercado de trabalho. As empresas que possuem atividades econômicas compatíveis adaptaram o seu modelo de trabalho para o home office, e as demais fazem o possível para continuar produzindo/operando.

Neste cenário, não é possível saber quais serão os próximos passos do mercado. A verdade é que alguns segmentos já estão sentindo o impacto econômico da COVID-19.

Diante disto, posso mudar de emprego nesse período?

Esteja aberto a ouvir

Como headhunter, entendo que o primeiro passo é investigar qual o momento profissional de cada um. Se o profissional não está satisfeito, e é abordado para avaliar uma nova oportunidade, ainda que em um momento como este, é aconselhável que escute sobre ela.  

Isto porque, o processo seletivo não é exato, ou seja, não existe fórmula. Ao participar de um processo de seleção o candidato precisa saber se é capaz de atender ao job description, se o perfil da equipe é compatível com seu estilo de trabalho, se há identificação com a cultura da empresa e também se há compatibilidade com o estilo de gestão, remuneração, entre outros fatores.

Ou seja, na hipótese de fazer uma transição de carreira por vontade própria, as condições mencionadas acima precisam ser alinhadas, e é exatamente por isto que defendemos tanto o “ouvir sobre uma nova oportunidade”, pois não necessariamente essa nova oportunidade será compatível com o que esta pessoa procura.

Sabe-se que o momento é delicado, mas o autoconhecimento e o respeito são fundamentais e, se existem motivadores para uma mudança profissional, é importante manter-se aberto ao mercado.  

Entenda a oportunidade

Ouviu sobre a oportunidade e ficou interessado, quais os próximos passos?

Nesta possibilidade e atual circunstância, a investigação e a reflexão devem ser redobradas, por isto o candidato deve fazer todas as perguntas a fim de sanar as dúvidas existentes. O processo seletivo é o momento para o candidato avaliar os pontos positivos de fazer essa mudança, por isto ele é tão importante. Para auxiliar, o headhunter ou o recrutador interno são os intermediadores do processo, e podem ser peça chave, por isto, estabelecer uma relação de confiança com estes profissionais é indispensável.

Demissão x home office

E na hipótese de aceitar a oferta, como pedir demissão trabalhando em home office?

A verdade é que pedir demissão nem sempre é confortável, afinal, ninguém faz isto todos os dias. E fazer isto através de ferramentas de vídeo pode ser ainda mais desafiador. Por esta razão, é fundamental se preparar: agendar um horário com o gestor direto, testar as condições de infraestrutura como qualidade de som e conexão e, especialmente, manter o discurso positivo, agradecer por toda a contribuição/aprendizado e negociar o handover, para que seja feito da forma menos impactante possível.  

* Bianca Cestari é especialista em recrutamento da Robert Half

COMO PODEMOS TE AJUDAR?

A Robert Half está conduzindo seus processos de recrutamento normalmente e 100% da empresa está em regime de home office

More From the Blog...