Como quantificar os bullet points quando você não trabalha com números

By Robert Half 10 de Janeiro 2018

Por Adriana Fonseca

Você provavelmente já ouviu a dica de que o ideal é montar seu currículo com bullet points e que neles é interessante mensurar suas conquistas. Nós mesmos já demos essa dica aqui no blog e é uma grande verdade, porque o recrutador bate o olho e vê quais foram as conquistas do profissional em cada empresa por onde passou.

Baixar o Modelo de Currículo

Veja só um exemplo. Qual das pessoas abaixo você chamaria para uma entrevista?

Pessoa 1: As tarefas incluíam sair a campo para fazer medições, manter registros, configurar e rastrear projetos usando o Microsoft Project e desenvolver planilhas computadorizadas.

Pessoa 2: Iniciou e gerenciou sistemas de rastreamento usados no projeto de descontaminação da água “Distrito Verde”, economizando R$ 125 mil no projeto como um todo em função de uma redução de 30% na alocação de pessoal.

Fácil responder, não? Mas, claro, você deve estar pensando: e quando eu não tenho números para apresentar? Isso pode acontecer quando se está em um trabalho que requer mais soft skills. Mas a verdade é que, não importa o que você faça, sempre é possível incluir números e dados no currículo. Veja alguns exemplos da especialista em desenvolvimento de carreiras do MIT (Instituto de Tecnologia de Massachusetts) Lily Zhang.

1. FAIXA NUMÉRICA

Não saber números precisos costuma ser um grande obstáculo para incluí-los no currículo, mas uma forma de lidar com isso é usar uma faixa. Use sua melhor estimativa e foque no impacto.

ANTES: Responsável por supervisionar pesquisadores bolsistas.

DEPOIS: Supervisionou de 7 a 12 estudantes pesquisadores por ano e todos entraram na pós-graduação em astrofísica, física ou matemática.

2. FREQUÊNCIA

Uma das formas mais fáceis de incluir números no currículo é incluir a frequência de determinadas tarefas. Isso é particularmente útil para ilustrar que você trabalhou com grandes volumes e mostrar que sabe lidar com esse tipo de situação.

ANTES: Concluída a primeira edição de seleção de artigos.

DEPOIS: Revisão e avaliação de 40 a 50 artigos por semana. Tomada de decisão sobre quais artigos passar à equipe editorial e quais mandar de volta ao autor para alterações.

3. ESCALA

Empregadores se importam com dinheiro e em como economizá-lo. Pense em todas as coisas que você fez que geraram alguma economia para a empresa, seja simplificando um procedimento, economizando tempo ou negociando descontos com fornecedores. Multiplique essas ações pela frequência que você as executava e coloque nos bullet points de seu currículo.

ANTES: Processo de inspeção simplificado ao atualizar dispositivos de detecção e marcação.

DEPOIS: Gerenciamento de projeto para aperfeiçoar dispositivos de detecção e marcação de defeitos, resultando na eliminação da inspeção humana, economizando entre R$ 200 mil e R$ 350 mil por ano.

* Adriana Fonseca é jornalista, tem 15 anos de experiência na cobertura de carreiras, empreendedorismo e startups. Já publicou nos jornais Valor Econômico e Folha de S.Paulo e na revista Pequenas Empresas & Grandes Negócios.

More From the Blog...