Assumir a responsabilidade no trabalho, como vencer a insegurança

Por Robert Half 26 de outubro de 2016

Por Fernando Mantovani

Alguma vez na vida, você já falou ou ouviu a frase ‘toma que o filho é seu’– que deixava bem claro de quem era a responsabilidade naquele momento. Porém, essa expressão tem estado mais presente no mundo corporativo do que o recomendado. E tem muito filho por aí ficando sem pai nem mãe. Isso afeta os prazos e resultados obtidos pela organização.

Responsabilidade no trabalho

A decisão colegiada adotada para algumas estruturas ao mesmo tempo que divide a responsabilidade também a delega para a “entidade” corporativa: “foi decisão da empresa fazer dessa forma”. Em outras situações, “foi a consultoria contratada que disse que é preciso adotar tal medida”. E dessa forma, vamos tocamos o dia a dia terceirizando a responsabilidade no trabalho sempre que possível.

Tal comportamento está com os dias contatos. Momentos de crise são ótimos para que as companhias olhem para dentro e identifiquem espaços para melhorias. Não fará mais parte de sua estrutura aqueles que tenham medo de assumir a responsabilidade para fazer o que é preciso.

ENVIE SEU CURRÍCULO

As empresas demandam cada vez mais profissionais dispostos a assumir a maternidade ou paternidade de seus projetos e todas as consequências advindas daí.

* Fernando Mantovani é diretor de operação da Robert Half, empresa especializada em recrutamento e seleção. Este artigo foi publicado originalmente no blog Sua Carreira, Sua Gestão, da Exame.com.

Tags

More From the Blog...