6 perguntas que todo headhunter faz

Preparar-se para uma entrevista de emprego é fundamental, caso você queira causar uma boa impressão ao headhunter. Só que nem todo mundo faz a lição de casa e muita gente acaba se atrapalhando na hora de dar boas respostas. “São sempre as mesmas perguntas que causam desconforto aos candidatos”, afirma Marcela Esteves, headhunter na Robert Half. “E isso acontece porque o profissional não pensa nas perguntas com antecedência e não estrutura as respostas de forma objetiva.” Não quer falhar na próxima entrevista de emprego?

Então, veja aqui quais são as perguntas que causam mais saia justa nos candidatos.

Por que você saiu da empresa em que trabalhava?
Marcela diz que muitos candidatos acabam não apresentando de forma clara e objetiva as razões pelas quais deixaram o último emprego. “Muitos se sentem desconfortáveis em dizer que foram demitidos e acabam inventando uma história”, diz a headhunter. Só que um consultor de recrutamento mais experiente vai aprofundar as perguntas e descobrir a mentirinha – o que certamente vai lhe prejudicar no processo de seleção. “Ser demitido não é demérito para ninguém, acontece. O melhor é dizer a verdade e explicar as razões para a sua saída, se foi por um corte de custos ou porque a empresa queria um profissional mais barato naquele momento”, afirma Marcela.

Por que você quer trocar de emprego?
Quer saber outra saia justa? Quando o headhunter pergunta ao candidato, ainda empregado, por que ele quer sair da atual empresa. Aqui, a resposta é semelhante à da questão anterior. Pense com antecedência no que você irá responder e estruture algo objetivo para falar ao recrutador. “Não vá expor o atual empregador, falando mal de diversos aspectos. Mas não há problema algum em dizer que você não se adaptou à cultura da empresa - e especificar algum ponto em relação a isso - ou ainda justificar sua saída pela vontade de crescer na carreira”, afirma Marcela.

Podemos conversar em inglês?
É nessa hora que aquele “inglês fluente” do currículo escapa e não sobra uma palavrinha na memória para um bate-papo rápido com o headhunter. “Não adianta informar que você é fluente em um idioma quando, na verdade, você tem um nível intermediário”, diz Marcela. Isso só cria expectativas no entrevistador e, para o candidato, a mentirinha acaba fechando portas. Quem vai querer contratar alguém que não é transparente já na entrevista de emprego?

Quais são seus pontos fracos?
Marcela diz que muitos candidatos rapidamente respondem que não têm pontos fracos. “Isso é sinal de que a pessoa não está correndo atrás para melhorar suas competências profissionais”, diz a headhunter. A verdade é que ninguém deve se achar 100%, sempre há algo em que se aperfeiçoar.

Qual é a sua pretensão salarial?
“Isso vem mudando, mas ainda hoje muitas pessoas se sentem desconfortáveis ao falar de salário”, afirma Marcela. Só que é importante ir para uma entrevista de emprego com um número em mente. A headhunter dá a dica: “se o salário não é um motivador para você, ok, mas diga a partir de quantos reais uma oportunidade pode lhe interessar. Isso ajudará o recrutador a saber quais ofertas de emprego pode lhe passar.”

Você tem experiência com gestão de pessoas?
Quando um profissional está se candidatando a um cargo que envolve gestão de equipe, quer impressionar e acaba respondendo sim a esta pergunta. Só que, de novo, se isso não for verdade, o headhunter vai perceber quando aprofundar o questionário. “A pessoa acaba mencionando situações em que trabalhou com colegas e até exerceu alguma função de liderança em um projeto específico, mas sempre percebemos a mentira quando entramos no detalhe”, afirma Marcela. “Por isso, para qualquer resposta, se prepare e estruture um discurso transparente, verdadeiro e coerente”, finaliza.

Compartilhar essa página