47% dos empregos vão desaparecer em 25 anos. O que você estará fazendo?

Adriana Fonseca

Quase metade (47%) dos empregos vai desaparecer em 20 anos. O dado é de um estudo recente feito pela Universidade de Oxford e inclui tanto vagas operacionais como cargos de liderança.

A grande responsável por essa perda de empregos é a tecnologia, já que computadores serão capazes de fazer algumas tarefas de forma mais barata e eficiente que nós, seres humanos. Isso inclui tarefas hoje exercidas por contadores, médicos, advogados, professores, administradores e analistas financeiros. Como se vê, ninguém está a salvo.

Em um recorte ainda mais específico, por setor, 74% dos empregos em transporte e armazenamento serão afetados e 56% das vagas da indústria podem desaparecer.

Por área de atuação, 77% dos trabalhos administrativos e operacionais “repetitivos e previsíveis” serão automatizados. Já funções que requerem um elevado grau de interação, como professores e assistentes sociais, têm 23% de chance de automação.

Nem executivos que desempenham tarefas que requerem pensamento estratégico e tomadas de decisões complexas estão a salvo. Entre esses, 14% podem perder seus empregos para a automação.

E para quem pensa que tudo isso é uma realidade distante, a chamada Quarta Revolução Industrial já está acontecendo. Em janeiro, uma seguradora japonesa anunciou que iria substituir 34 funcionários por um sistema de inteligência artificial. Ele será usado para calcular os pagamentos devidos aos segurados da companhia. Com a mudança a empresa espera aumento de 30% em sua produtividade.

E você? O que tem feito diante dessa situação?

* Adriana Fonseca é jornalista, tem 15 anos de experiência na cobertura de carreiras, empreendedorismo e startups e já publicou no jornal Valor Econômico, na Folha de S.Paulo e na revista Pequenas Empresas & Grandes Negócios.

 

Compartilhar essa página