3 coisas para negociar além do salário

Por Adriana Fonseca

Salários são negociáveis. Todo mundo sabe disso, mas em momentos de dificuldade econômica a frase que inicia esse parágrafo pode não ser tão verdadeira assim.

Nessas situações em que não há como pedir um aumento de salário, há outras coisas que podem se tornar o centro da negociação. São aspectos que podem deixar o seu trabalho ainda mais ajustado ao seu estilo de vida.

As dicas abaixo foram dadas por Camille Noe Pagan, do site de finanças pessoais LearnVest.

1. Horário flexível

Uma pesquisa recente da organização não governamental Catalyst mostrou que quatro em cada cinco funcionários ao redor do mundo com diploma de graduação têm horário flexível no trabalho. Os arranjos são os mais variados: semanas mais curtas, carga horária diária menor, horários diversos para entrar e sair do escritório, etc.

Antes de negociar a sua jornada flexível, pense exatamente qual modelo atenderia as suas necessidades, assim você chega para a conversa com algo específico, e não pedindo apenas horário flexível. Outro aspecto importante é demonstrar para o chefe que suas atuais responsabilidades e compromissos serão mantidos com a jornada flexível.

2. Promoções e cargos

O primeiro passo aqui é provar que você é um funcionário valioso, para depois pedir promoções quando as oportunidades aparecerem. Nessa estratégia também ajuda ter aliados no escritório. Como? Sendo respeitoso com os colegas, prestativo e amigável. Ter uma espécie de sponsor, alguém com um cargo mais alto que advoga por você, pode ser bastante útil.

3. Novos projetos

Se você quer nadar com os peixes grandes precisa passar mais tempo em águas profundas. Isso significa que você pode pedir para se envolver em projetos que talvez estejam além da sua atual alçada. A dica aqui é simples: conversar com o gestor do projeto ou com o seu gestor direto e perguntar de que forma você pode contribuir com o grupo.

* Adriana Fonseca é jornalista, tem 15 anos de experiência na cobertura de carreiras, empreendedorismo e startups e já publicou no jornal Valor Econômico, na Folha de S.Paulo e na revista Pequenas Empresas & Grandes Negócios.

Compartilhar essa página