10 empregos que você pode ter em 2030

Seu emprego parece normal hoje, certo? Mas, daqui a 16 anos, quando uma pessoa se apresentar como “especialista em simplicidade” ou “conselheiro de robô”, é provável que você também ache esses cargos bem comuns. Será mesmo? É o que diz um levantamento feito pelo Canadian Scholarship Trust, um instituto canadense dedicado à educação.

Após reunir um time de especialistas, que levou em conta as mudanças sociais, tecnológicas, econômicas e ambientais que estão acontecendo hoje, a organização chegou a uma lista com os empregos que podem fazer parte do mercado de trabalho em 2030. O objetivo do estudo é ajudar a guiar as diretrizes do governo canadense no setor educacional nos próximos anos.

Vamos à lista com alguns dos empregos apontados pelo estudo.

Administrador de residências
Os preços dos imóveis vêm subindo há anos em diversas cidades do mundo. Assim, é possível que, em 2030, muitos jovens não tenham condições de comprar uma casa. Uma das soluções serão as “casas compartilhadas”. A ideia é que um grupo de pessoas compre uma casa realmente grande e compartilhe espaços de escritório, lavanderia, sala de brincar das crianças e área verde. O novo modelo prevê até o compartilhamento dos carros. Só que alguém precisa administrar tudo isso para que funcione. O administrador de residências assegura que as contas do grupo sejam pagas em dia e que os veículos estejam sempre em bom estado de funcionamento, além de resolver os imprevistos de manutenção do imóvel.

Conselheiro de robô
Em 2030, os robôs terão um papel maior na prestação de serviços domésticos. Eles ainda serão caros - alguns modelos custarão o mesmo que um carro econômico -, então os novos donos desses produtos precisarão de uma boa orientação para escolher o modelo certo para suas casas. Graças à tecnologia robótica, algumas dessas máquinas serão capazes de dirigir ou cozinhar. Outros realizarão tarefas mais rotineiras, como varrer, limpar ou fazer cuidados básicos com o animal de estimação. O papel do conselheiro é observar como a família interage e identificar suas necessidades e estilo de vida, para depois ajudá-la sobre o tipo de robô mais adequado.

Embaixador de cultura corporativa
Cultura corporativa é um termo amplo que se refere ao ambiente onde as pessoas trabalham, às crenças e aos valores da empresa e à maneira com que os funcionários se sentem em relação à organização. Meio guru de liderança, meio terapeuta e meio coordenador, os embaixadores da cultura corporativa desempenham um papel importante na garantia de ambientes positivos de trabalho. Eles têm a tarefa de conversar rotineiramente com os funcionários - abordando suas preocupações -, desenvolver programas de capacitação e organizar benefícios de diversão para os colaboradores, como almoços grátis e aulas de ioga. Tudo para melhorar o ambiente corporativo.

Especialista em simplicidade
O mundo de hoje é complexo e, por isso, é fácil imaginar que os sistemas e os trabalhos vão ficar ainda mais complicado no futuro. Mas esse pode não ser o caso. Os especialistas em simplicidade de 2030 estão interessados em dizer como as empresas podem simplificar e agilizar suas operações. Este profissional existe para reduzir os processos administrativos de uma empresa de 15 para três, ou as entrevistas de quatro para uma, ou três dias de trabalho para meia hora. Meio designer, meio gênio da matemática e meio sociólogo, os melhores especialistas em simplicidade precisam compreender como os seres humanos trabalham para chegar a métodos novos e criativos.

Designer de lixo
O dano ambiental e o acúmulo de lixões fizeram da reciclagem uma norma. Só que a reciclagem se baseia na ideia de que as coisas que fazemos, inevitavelmente, criam resíduos. Uma nova forma de reciclagem que provavelmente vai se tornar popular em 2030 é o "upcycling", que é a prática de transformar resíduos ou artigos inúteis em produtos de melhor qualidade. Exemplos? Transformar escovas de dentes velhas em pulseiras ou revistas velhas em vasos para plantas. Projetistas de lixo são fundamentais para garantir o sucesso do “upcycling”, porque eles encontram formas criativas para transformar os subprodutos do processo de fabricação em materiais de alta qualidade. Esses designers também podem ser responsáveis por projetar maneiras de fazer as coisas com pouco desperdício, tendo como objetivo final uma produção livre de resíduos.

Localizador
Hoje, parece que nossas vidas estão se tornando cada vez mais globais. Encomendamos produtos on-line de outros países, usamos a energia produzida a centenas de quilômetros de distância e comemos alimentos de todo o mundo. Só que outras tendências estão nos fazendo voltar para as nossas comunidades locais. Em 2030, as comunidades podem depender menos do mercado global devido a avanços em energia solar e eólica, impressão 3D em casa e a volta da jardinagem. Então, localizadores serão necessários para ajudar os pequenos bairros e as empresas a sobreviver e prosperar usando o que está disponível para eles dentro de uma distância próxima.

Nostálgico
Este profissional é um designer de interiores especializado em recriar memórias para pessoas aposentadas. Ao invés de se contentar com uma experiência típica em uma casa de repouso, onde os apartamentos de todos são iguais, os idosos de 2030 com mais dinheiro poderão se dar o luxo de viver em um espaço inspirado por sua década favorita.

Recuperador de terras
O papel do recuperador de terras não é aumentar as culturas alimentares, como vem sendo feito em estufas altamente eficazes conhecidas como fazendas verticais. O trabalho do recuperador de terras é desfazer os danos ambientais na zona rural causados por pessoas, fábricas, carros e uma monocultura intensiva (que ocorre quando só um tipo de alimento é plantado em uma grande área de terra). Seu trabalho é remover as barreiras que impedem a restauração das rotas de voo das aves, trocando estradas por florestas e reintroduzindo espécies nativas. Este é provavelmente um emprego público, remunerado com as receitas do imposto sobre o carbono.

Tele-cirurgião
A prática da cirurgia a distância, quando médicos operam pessoas com ferramentas robóticas em vez de mãos humanas, surge da necessidade de tratar pacientes em locais remotos. Usando uma combinação de ferramentas de cirurgia robótica, tecnologias de digitalização e de sensoriamento e redes de alta velocidade, os cirurgiões podem operar as pessoas em locais distantes sem sair dos grandes centros. Nas comunidades basta haver uma pequena equipe de cirurgia no centro médico local.

Terapeuta do fim da vida
Com as pessoas vivendo cada vez mais tempo, natural que passem a se preocupar mais com os últimos anos de suas vidas. O papel deste terapeuta é justamente ajudar as pessoas nesse planejamento, mostrando, por exemplo, procedimentos e tecnologias que tornem mais suave o processo de morrer. Este profissional também oferecerá serviços que ajudem seus clientes a pensar sobre os aspectos psicológicos de se preparar para a morte ou efeitos legais de se tornar mais velho e mais fraco.

Compartilhar essa página